Muitas mães têm dúvidas de como lidar com a influência dos avós na educação das crianças. O maior problema está em decidir como e quando os avós poderão, e se poderão interferir na vida dos filhos. O que você não pode negar é que, apesar de tudo, os avós podem ser um bom porto-seguro nas horas de dificuldade.

Actualmente muitas mães deixam os filhos sob a responsabilidade dos avós, já que preferem muito mais ver o filho cuidado por alguém da família do que um estranho. Para os avós, a tarefa de criar os netos é mais leve, já que a responsabilidade de educar não recai directamente sobre eles.

O problema disso tudo é que as crianças veem a casa dos avós como um local onde tudo é permitido, e isso é capaz de gerar conflitos entre os avós e os pais das crianças.  E é ai que o problema reside. Você e os avós não podem ficar brigando para ver quem tem razão na hora de educar a criança; vocês precisam trabalhar em conjunto e somar as experiências, sem nenhum lado ceder as exigências do outro.

O que pode acontecer muitas vezes é que os pais e os avós começam uma guerra para conquistar a simpatia da criança. Para lidar com isso, só com muita conversa e regras claras. Já que os avós precisam saber que quem ter a palavra final ou o maior poder de decisão são os pais.

Há de se chegar a um consenso sobre a educação das crianças, para que assim elas não se sintam totalmente afastadas da família. É por isso mesmo que o meio-termo entre as vontades dos pais, dos avós e da criança é primordial. Até porque seus pais ou seus sogros não têm nenhuma obrigação de ‘cuidar’ dos seus filhos. Se o fazem, fazem com o intuito de vos ajudar.

Uma dica para você equilibrar esses lados é não jogar a obrigação de cuidar da criança para os avós; eles precisam fazer isso porque querem e não porque são obrigados como dissemos acima. Lembre-se que os avós irão passar muito tempo com os seus filhos, então essa convivência precisa ser a melhor possível.

Para os avós, a dica é deixar de lado as obrigações de “pais” e curtirem os netos tentando passar o máximo de conhecimento que podem. Os avós podem sugerir, mas lembre-se que a palavra final é sempre da mãe. É até bom que os avós se preocupem com a educação dos netos a ponto de sentar com você e discutir maneiras de melhora-la. Os avós podem te ajudar e acrescentar muito na vida dos seus filhos. Desde que tudo isso não seja uma obrigação e que os avós tenham consciência de quem tem a palavra final é você mãe.

Para isso nada que uma boa conversa para esclarecimentos, e não se esqueça que os acordos quanto a horários, dias da semana e outros detalhes devem ser cumpridos a risca; afinal seus pais ou os seus sogros têm a vida pessoal deles e não é justo que fiquem preso a uma situação incorrecta. 😉

Ensine seus filhos:

1- Que os avós cuidam dele para ajudar o pai ou a mãe, e para que eles não fique aos cuidados de pessoas estranhas.

2- Seus filhos devem obedecer os avós em sua ausência e em sua presença, o que pode e o que não pode fazer deve ficar bem claro para as crianças.

3- Seu filho deve tratar os avós com respeito.

4- A sua casa é a sua casa, e a casa dos avós é a casa dos avós.

5- Birras não são permitidas nem com os avós e muito menos sem os avós.

6- Limites e regras existem para serem seguidos.

7- Ter cuidado com os móveis e objectos pessoais dos avós, não quebre e nem destrua.

8- Ajudar os avós a organizar a casa.

9- Horários devem ser cumpridos.

10- Hora de ir embora apra casa é hora de ir embora para casa.

2 COMENTÁRIOS

  1. Uma criança de 11 meses passar 2 dias na casa dos avós sem os pais a cada 15 dias ou toda semana pode gerar algum sentimento de abandono?
    Uma criança de 1 ano viajar viajar de férias para um resort com os avós, tia, tio e priminho, sem a mãe pode causar sentimento de abandono?
    Aguardo ansiosa a resposta.

    Leda Ayres

    • Leda, nesta idade a criança ainda é um bocado pequena para ter noção de tempo. Depende de como vc lida com a situação e de como a criança lida com a ‘separação’ ainda que momentanea. Cada criança é uma criança e os pais geralmente sabem qdo o filho se sente triste. Pessoalmente não penso que 2 dias na casa da avó seja muito tempo, quanto a viagem de férias não acho aconselhavel. Acho que 1 ano é mto pequeno ainda para viajar sem a presença da mãe. Mas veja bem aqui está a minha opinião pessoal. Cada pessoa encara de uma forma. 🙂

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here