Entrevistas Gravidez

Entrevista com Maria Helena Vilela – Gravidez na Adolescência

Vote neste Post!

Hoje o Blog da Criança apresenta um entrevista feita com Maria Helena Vilela, diretora do  Instituto Kaplan situado no bairro do Brooklin na capital de São Paulo (Brasil) que  nasceu da necessidade , encontrada na população carente da cidade de São Paulo,de tratamento terapêutico das dificuldade sexuais e de educação em saúde e responsabilidade sexual.

Fundado em 29 de Abril de 1991, por um grupo de especialistas em sexualidade, o Instituto começou sua história através do SOSex, um serviço de orientação sexual por telefone e veio a se tornar uma associação de educação e assistência social, com vários projetos em São Paulo e outros estados  brasileiros, produzindo um impacto positivo na saúde sexual de milhares de pessoas.

Maria Helena Vilela

O Instituto Kaplan tem como missão disseminar o conhecimento sobre o exercício dos direito e da responsabilidade sexual, por meio da educação, visando a melhoria da qualidade de vida da população brasileira.

Abaixo temos a entrevista que Maria Helena Vilela diretora do  Instituto Kaplan concedeu ao Blog da Criança onde abordamos o tema gravidez na adolescência, tema que penso ser de extrema importância não só para a sociedade brasileira, mas também para a sociedade portuguesa; onde o número de adolescentes grávidas cresceu consideravelmente nos últimos anos.

1ª Oficina em Alagoas – Brasil

Vamos às perguntas e respostas:

Blog da Criança:  Maria Helena como se deu o início do seu trabalho no Instituto Kaplan e qual seu objectivo principal no trabalho que você realiza?

Maria Helena Vilela:  Estou no Instituto Kaplan desde a sua fundação, quando fui convidada pelo Coordenador geral e Fundador do instituto, Dr. Moacir costa, para fazer parte do quadro de voluntários da Instituição. Desde o início, o meu objetivo foi a de promover e desenvolver a educação sexual nas escolas, visando a preparação dos jovens para lidar com a liberdade sexual que eles convivem no grupo. Dentre a minhas preocupações, a gravidez na adolescência sempre foi a principal delas. Na minha opinião, nenhuma garota entre 10 e 19 anos deveria ficar grávida. Este não é o melhor momento para um jovem ter filhos. É o momento de investir no seu projeto profissional e, no seu desenvolvimento pessoal.

Blog da Criança:  Maria Helena antigamente os filhos queixavam-se de não ter liberdade para conversar com os pais sobre sexualidade, e hoje em dia parece que o mesmo ocorre. Qual a sua opinião acerca da dificuldade que os pais têm em abordar o tema gravidez, sexualidade, e doenças sexualmente transmissiveis com os adolescentes?

Maria Helena Vilela:  Falar sobre sexo sempre foi um tabu. Há alguns anos é que isto vem sendo cogitado. Portanto, é uma coisa nova na vida de muitos adultos. Mas, além de novo, é um tema que leva ao julgamento moral, ao medo, e principalmente, à necessidade de ter convicção. E isto a maioria dos adultos não tem. O conhecimento científico e as mudanças sociais alteraram os conceitos sexuais e, a sociedade deixou de ter um   comportamento padronizado. A insegurança em saber o que vale em termos de sexualidade, associado a desinformação é que caracteriza a dificuldade dos pais para falar no assunto.

Blog da Criança: Como deve agir uma mãe para orientar a sua filha relativamente a sua primeira menstruação?

Maria Helena Vilela:
  É muito simples. Ela primeiro deve perguntar a filha se ela já ouviu falar em menstruação. Em seguida, pergunta o que é que ela sabe a respeito. Depois, com a ajuda um livro sobre o tema, com imagens dos órgãos reprodutivos, ela pode completar as informações que sua filha ainda não tenha. Para ajudar nestas informações segue em anexo um texto de minha autoria que escrevi para os adolescentes.

Blog da Criança: Como orientar uma adolescente para que ela se previna com métodos contraceptivos para evitar uma gravidez indesejada?

Maria Helena Vilela:
* Comente ou leia uma matéria sobre gravidez na adolescência com seu filho ou sua filha e pergunte se isto acontece entre os amigos deles.

* OUÇA a opinião deles.

* Conte para eles o que significava na sua época de adolescente, uma garota ficar grávida e o que acontecia com o casal adolescente.

*  FALE a sua opinião sobre o assunto, justificando o seu ponto de vista e ao mesmo tempo preenchendo lacunas do pensamento deles.

* Leve sua filha ao ginecologista e apoie o uso do método contraceptivo indicado.

* Estimule seu filho a usar a camisinha, pois esta é a única forma dele ter o controle sobre sua paternidade.

* Fale dos seus sonhos profissionais em relação a eles, mostrando suas expectativas. Mas também ouça e respeite o sonho deles, ajudando-os a enxergar as vantagens e desvantagens que ainda não consigam ver.

* Descubra e realize alguma coisa que você e seu(sua) filho(a) gostem de fazer juntos.

* Conheça os amigos, “ficantes” e namorados dos filhos.

* Promova as informações sobre sexualidade e contracepção que os jovens precisam saber. Se não souber como conversar, indique a leitura de artigos do Sex Tips, ou entre em contato. Enfim “se achegue” e boa sorte!

Blog da Criança:  O que fazer se a filha adolescente aparecer grávida? ou O que fazer se o filho adolescente chegar em casa dando a notícia de que será pai brevemente?

Maria Helena Vilela: Dar apoio. Ouvir, conhecer seu desejo e o que pretende fazer e, ajudá-los a tomar a melhor decisão de acordo com seus valores e expectativas.  Isto, não significa passar a mão na cabeça. No caso de seguir adiante com a gravidez, é muito importante que a garota faça o pré-natal e assuma suas responsabilidades de mãe e o garoto de pai.

Blog da Criança:  Porque ainda hoje existe uma certa resistência em consultar um ginecologista para receber a orientação necessária em como se prevenir contra uma gravidez precoce?

Maria Helena Vilela:  Porque os pais não querem acreditar que suas filhas já sentem desejo de ter uma relação sexual. É a negação que impede que as meninas recebam este cuidado tão importante. Além disso, as pessoas tem uma idéia equivocada quanto a consulta ao ginecologista –  imaginam que se vai ao ginecologista quando se tem vida sexual ativa! Assim, para não serem descobertas e não perder sua liberdade, muitas garotas também não pedem para ir ao ginecologista.

Blog da Criança:  Quais os métodos contraceptivos mais adequados às adolescentes?

Maria Helena Vilela:  A camisinha e os métodos hormonais

Blog da Criança:  Maria Helena você acha que a gravidez precoce é um problema familiar ou social?

Maria Helena Vilela:  Familiar, Social, mas principalmente econômico. No Brasil, 25% das meninas que engravidam abandonam a escola.  Houve uma época em que a garota ficava grávida entre os 12 e 14 anos, e isto era perfeitamente admissível. Mas isso foi há muito tempo, quando a mulher era educada para ser apenas mãe e esposa. Esse era o seu projeto de vida! Hoje, as meninas, como os meninos, podem vir a ser o que quiserem. Quando ocorre uma gravidez na adolescência, a tendência é sair da escola ou ter que adiar seus planos de estudos por algum tempo. Isto tira ou dificulta a entrada da garota no mercado de trabalho, aumentando a pobreza e diminuindo a qualidade de vida da família.

Blog da Criança:  O que você acha que o governo poderia fazer para esclarecer melhor os adolescentes quanto aos problemas que uma gravidez precoce acarreta na vida do adolescente?

Maria Helena Vilela:  Implementar uma política pública de educação sexual, com foco na prevenção de gravidez na adolescência, a exemplo do que vem sendo feito no Estado de São Paulo e Alagoas, aqui no Brasil. A gravidez na adolescência é um tema curricular da matéria de biologia na 1ª série do ensino médio e para isso eles utilizam uma metodologia especial desenvolvida pelo instituto Kaplan, o Vale Sonhar. Este trabalho utiliza o sonho profissional como motivação dos jovens para a prevenção de gravidez, além de promover informações e aprendizagem do funcionamento do corpo reprodutivo e métodos contraceptivos. Uma condição mínima para que o jovem pense em fazer sexo de forma segura.

Blog da Criança: Maria Helena caso queira deixar algum comentário ou algo que julgue importante dizer-nos sinta-se a vontade para faze-lo:

Maria Helena Vilela:  Sexo é por natureza uma coisa boa na vida das pessoas de dos adolescentes. Ruim, são as conseqüências de um sexo vivido sem  informação e preparação para a prevenção de gravidez e DST. Os pais não precisam ter medo de que esta preparação incentive os jovens a transarem, eles já estão transando. E nós, adultos temos o dever de educá-los para conseguir fazer escolhas assertivas.

Site Oficial: –  Instituto Kaplan

Centro de Estudos da Sexualidade Humana – Instituto Kaplan
Rua Indiana, 705 – Brooklin Novo
Cidade: São Paulo – SP
Telefone/Fax: 55 – 11 – 5092-5854

* O Blog da Criança agradece a colaboração de Júlia Mattos e Vera Moreira da ‘Vera Moreira Comunicações’ para a realização desta entrevista.


Sobre o Autor

Blog Da Criança

Blogger profissional. Editora de Conteúdos Web em Língua Portuguesa. Formação Universitária em Psico-Pedagogia, com especialização em Psicologia Infantil e História da Educação. Pós Graduada em Administração Escolar.

2 Comentários

Deixe um Comentário

Captcha