Educação infantil

A fábula da Flauta de Prata e o Rouxinol

Vote neste Post!

Como os habituais visitantes do Blog da Criança  sabem, eu adoro fábulas. Creio que através delas é possível transmitir às crianças noções de boa conduta, moral, civismo, respeito ao próximo, e outras tantas mensagens que por vezes são difíceis de ser ter em nosso cotidiano.

A fábula da ‘Flauta de Prata e o Rouxinol’ faz parte do livro ‘Novíssimas Flores para Crianças ‘ Fernando Cardoso (Ed. Portugal Mundo) e foi transcrita aqui com a autorização do autor. Ilustração de Helena Matos.

novissimas-flores-para-criancas

Vamos a ela:

“Esta história, como tantas outras, passou-se há muitos anos, num tempo em que os animais e as coisas também falavam. Ou será que ainda falam?….

Estava um rouxinol a cantar alegremente em cima de uma frondosa árvore, quando foi interrompido pelo riso estridente de uma flauta de prata.

– Do que te ris? perguntou-lhe o rouxinol

– Do teu descaramento em emitires tais guinchos na minha presença.

– Quem és tu para não gostares da minha melodia?

– Eu sou uma flauta de prata e de mim saem os mais maviosos sons. Só não me conhecem os campónios como tu. E tu quem és?

– Apenas uma ave que gosta de cantar. Mas serei todo ouvidos para te escutar.

– Ousas pedir-me para eu cantar para ti? Eu só canto para prazer de reis e nobres.

– Pois eu canto para toda gente e para alegrar os campos. Porém estou cheio de curiosidade em ouvir esses sons maviosos de que falas.

– Será que nem sequer compreendes que tal não é possível?

– Como assim?

– Não vês que não está aqui o flautista para me soprar?

– Nesse caso, bem hajam os rouxinóis e os demais pássaros que cantam sempre que desejam e que compõe e dão vida às suas próprias melodias. Tu pelo contrário, és como aqueles que nada valem se não for a intervenção dos outros, que não se move se não lhes dão as mãos, que não cantam se não lhes assopram e não sobem se não as empurram…!”


Sobre o Autor

Blog Da Criança

Blogger profissional. Editora de Conteúdos Web em Língua Portuguesa. Formação Universitária em Psico-Pedagogia, com especialização em Psicologia Infantil e História da Educação. Pós Graduada em Administração Escolar.

Comentário

  • Eu já estava aqui ha um tempão te seguindo, mas hoje dei um jeito – q nem imagino como consegui – de aparecer ihihih

    Sabe Kátia, eu sou uma apaixonada pelas fábulas e já percebi que tu também és.
    Como Pedagoga imagino que as dê bastante importância, principalmente na segunda infância.
    Eu ouço mimha mãe contando, até hoje, quando eu tinha 3 anos, sobre a raposa e as uvas. A lição de moral entra no imaginário infantil e levamos para sempre.
    Obrigada por mais esta.

Deixe um Comentário

Captcha