Adolescente Rebelde sem Causa | Como Lidar com Isso?

Lidar com adolescentes nunca é fácil. São desafios a serem superados em todos os momentos principalmente quando você se vê no papel de quem impõe limites e “estraga” a diversão deles. E em alguns casos, essa batalha diária foi proporcionada por você mesma.Você certamente teve uma criação mais rígida e com medo de cometer os mesmos erros que os seus pais cometeram na sua criação, você acaba deixando as crianças fazerem aquilo que querem. O problema é que quando elas viram adolescentes, você precisa colocar um freio nele e então começa a se dar conta de que terá que tratar com um adolescente intolerante e intratável.

O problema é que se você foi muito permissiva quando ele era criança, dificilmente vai conseguir controlá-lo depois de adolescente. Mas é claro que toda regra tem sua exceção e você não precisa continuar sendo permissiva com ele, mas saiba que vai ter que lidar com a intolerância dela.

Não basta você proibir ele ou ela de fazer algo. Os adolescentes de hoje não são iguais a você naquela época; eles são bem mais informados e não aceitam qualquer coisa que lhe é imposta. Se for proibir algo, muna-se de argumentos sustentáveis e fortes para explicar o porquê da proibição para ele ou ela. E o mais importante, seja coerente e nunca volte atrás; se proibiu algo um dia e ele pedir no dia seguinte, continue proibindo; só assim ele terá certos limites.

Você percebe que não é mais ele ou ela que deve se explicar a você e sim você explicar a ele. Se você não impuser limites dentro de casa, certamente ele ou ela  não terá limites fora de casa. Só que as punições do que ele faz na rua são mais severas do que as que você aplicaria dentro de casa. Nada melhor do que uma boa conversa, muita paciência e limites rígidos para o adolescente intratável até que ele perceba que não pode fazer tudo o que lhe vier à cabeça.

E não adianta você lutar contra essa fase intratável do seu adolescente. É algo natural, uma fase de rompimento entre a infância e a fase adulta. Os adolescentes têm a necessidade da auto-afirmação, e de saber que podem fazer as coisas sozinhas e por esse motivo não aceita a intervenção dos pais.

Mas ele ainda não tem a maturidade suficiente para isso, então o seu papel é sim impor limites e fazer com que ele perceba que tudo tem o seu tempo. Nada de ‘passar a batata quente’ para o seu marido, e dizer: – Peça ao teu pai!

Deverá também haver um consenso entre você o seu marido, ambos devem decidir o que é melhor para o seu filho ou filha e agirem de acordo. Se houver discordância entre você e seu marido, pode ter certeza de que seu filho ou filha irá usar isso para se beneficiar em causa própria.

É bom lembrar mais uma vez que paciência e conversa nessa fase são essenciais. Você verá que com o tempo e o amadurecimento ele, ele passará a ser uma pessoa mais tratável e menos intolerante; basta apenas que ele entenda todo o porquê dos limites e das regras.

60 Comments on this post

  • J.A.B

    3 de março de 2014 at 3:06
    tbm tenho dois filhos um menino de 13 anos e uma menina de 17 anos e ela me tem deixado muito triste deixei ela namorar qdo completou 13 anos achando q ela reconhecesse q confiava nela e q poderia sermos mais amiga pois ca
  • JUSSARA

    25 de fevereiro de 2014 at 12:51
    costei muito dessas dicar vou começar a coloca-las em pratica espero não ser tarde de mais pois tenho dois filhos um de 19 anos e uma de 14 anos eles estão terríveis muito mal criados não querem ter limites pra nada as vez penso em chutar o balde não estou conseguindo controlar essa situação pois não dei trabalho assim para minha mãe que cuidou dos filhos sem marido e também depois que inventaram esse estatutos dos adolescente eles estão que tão
  • Nerinha sampaio

    30 de janeiro de 2014 at 20:38
    tenho 2 meninos adotivos, ode 17 anos está com 140 kg tem 17 anos come muito e não gosta de estudar dorme até 16 horas estuda a noite. ; O outro é um rapaz de 24 anos, está namorando a empregada de 48 anos, levou 15 dias trabalhando no hospital do meu filho, saiu não quer mais, abandonou o trabalho sem nada falar . Fico muito triste o que devo fazer?
    • kat

      5 de fevereiro de 2014 at 21:32
      Nerinha, a única coisa que posso dizer é que nesta idade já são grandes o suficiente para serem responsáveis pela própria vida e por isso, diga a eles, ou vcs toma jeito ou aqui em casa não ficam mais. E cada um segue seu caminho, pq enqto eles tiverem aí tudo de mão beijada e verem facilidade nunca irão se responsabilizar pela vida deles. Boa sorte, espero ter ajudado.
  • Jane

    31 de julho de 2013 at 17:52
    Tenho huma filha de 18anos que sempre me deu trabalho ela agora esta trabalhado e mora comigo mais manda eu calar a boca mada eu amerda agora esta cravida esta sem namorado .e quer ter filho .bate hum pé querendo ter filho sem ter ande mora .nao posso aceita isso mais
  • Juli

    9 de junho de 2013 at 12:18
    Cara Amélia Costa, se um filho ou uma filha quer ser "independente" estando debaixo do teto dos pais, e recusa-se a dar satisfações da vida dele, agindo como se fosse dono do próprio nariz e que as regras da casa não importam, realmente acho que ou ele atina e entra na linha; ou o melhor é ele ou ela arranjar um empreguinho, ver como é duro ganhar o pão nosso de cada dia, para depois poder "cantar de galo" no terreiro dele.
  • juliana

    29 de maio de 2013 at 23:36
    Tenho um filho de 13 anos e outro de 8anos. Quando o meu mais velho era pequeno ele era coisa mais querida,mas agora responde ,briga com todos dentro de casa,graças a deus que no colegio ele é o primeiro da classe.Mas dentro de casa, ele briga demais com o irmão, quase sempre é pra machucar, nada de grave mas machuca, alem de me enfrentar demais.Gostaria de ver ele como era antes.O que posso fazer? Qual deve ser a minha posição, sem precisar dar nele.
  • Andreia

    24 de maio de 2013 at 5:19
    Estou realmente sem chão...Não sei mais o q fazer, tenho um filho de 14 anos, sempre conversei muito com ele, dei carinho, atenção, orientação...Mas influenciado por mas cias ele se transformou em outro menino.Mente descaradamente, dá problemas na escola, e o pior acho q se envolveu com drogas...Fui viajar p um velório e deixei ele com pai, porém ele ficou 3 horas sozinho em casa e nesse periodo trouxe pessoas estranhas que e encontrei drogas aqui, ele disse q não eram dele. Como trabalho o dia todo, e o pai tem mais liberdade de horário, por trabalhar em negócio proprio decidimos deixa-lo com pai, que faria uma marcação mais cerrada com relação a tudo.Porém o pai deixa ele na escola e ele faz q entra e não entra...Sai e não sabemos p onde, pois a hora da saída ele esta lá. Já tentamos deixa-lo com o avô no interior, mas tb não deu certo. Conversei, conversei e ele diz q quer viver a vida dele e que não vai se afastar dos "amigos".Só da escola ele já foi suspenso 4 vezes esse ano...Realmente não sei o q fazer...Qdo ele estava aqui comigo ainda tentei repreender e ele tentou me agredir...Mudei de casa esperando q ele se afastasse e nd...
    • kat

      24 de maio de 2013 at 14:27
      Olá Andreia já pensou em arranjar um trabalho para ele? Quem sabe se ele tivesse que se tornar responsável pelo próprio sustento as coisas mudassem. Ele quer viver a vida dele? Olha que bom, é uma excelente oportunidade de provar que ele pode ser independente da família e fazer o que quer, trabalhando duro diariamente. Imagino que deva ser difícil para você, mas ser compreensiva com tudo isso não ajuda muito. Na minha opinião, o que mais pesa sobre um adolescente assim é ele ter de se tornar responsável por algo e ver qto custa realmente a VIDA.Quem sabe assim ele acorda nao é? :)
  • Lisiane

    4 de abril de 2013 at 15:39
    Tenho uma flha de 17 anos que parou de estudar, não quer procurar emprego, só quer sair e chegar a qualquer hora, está grosseira , perdeu todo e respeito por mim e se acha dona da razão, não aguento mais essa situação, não sei mais o que fazer, já conversei várias vezes tentando mostar um norte e para que ela faça a coisa certa, já tentei levá-la a psicologos para ajudá-la, mas ela é durona e resiste a qualquer comentario, tentei para que fosse a um encontro de jovens na Igreja e ela não quer, resumindo, ela não quer fazer nada , somente cutir a vida, ir a balada , dormir na casa de amigos. Disse numa ultima discussão que minha paciencia estava no limite, e está, estou pensando em ter um ultima conversa e se eu perceber que ela está irredutivel a mudar e fazer as coisas certas, vou pedir pra procurar seu caminha, já que na minha e sua casa está tudo ruim, como ela costuma dizer ' que odia todos'. precisode ajuda.
    • kat

      8 de abril de 2013 at 19:49
      Olá Lisiane, sim com certeza vc tem razão, converse e diga se aqui não está bom e vc quer fazer o quer da sua vida e não contribui em nada, procure seu caminho.
    • Amélia Costa

      5 de junho de 2013 at 6:01
      Mandar ela "seguir o caminho dela" é realmente uma péssima ideia... Se você deixar ela mais livre do que já está ela poderá se envolver com pessoas e coisas erradas. Pode parecer a coisa mais difícil do mundo mas apenas mostre que se importa de verdade, ela só quer a sua atenção.
  • Cris Costa

    4 de abril de 2013 at 15:21
    Amados, tenho uma filha de 15 anos e estou enfrentado problemas com ela referente aos seus estudos, acho que devido a uso da internet que para mim, já se tornou vício. Tomei a iniciativa de deixá-la sem internet e simplismente ela está com a cara mais feia e sem falar comigo. Tenho entregue ela nas mãos de Deus todos os dias, pois minha forças estão se esgotando.
  • Helena

    12 de março de 2013 at 23:22
    Tenho um filho de quinze anos estou sofrendo muito ele era uma criança alegre companheiro um verdadeiro amigo sempre conversavamos abertamente sobre tudo de uns meses para ca ele começou a mentir se envolver com uma mulher o dobro da idade dele e para piorar ela esta envolvendo ele nas drogras tornou se agressivo nao ouve nimguem ameacei de denunciala ele me ameaça dizendo que vai embora se caso eu fizer algo contra eles ele se acha o dono da verdade penso em denuncialo a policia pois descobri que ele esta passando drogas e o dinheiro para ela como ele se conheceu o sexo com ela ele esta se sentindo o cara e não persebe que o que ela realmente quer e usalo não me ouve mas estou desesperada com uma angustia tão grande que penso que não vou suportar de tanta tristeza
  • MÁRCIA CRISTINA

    25 de fevereiro de 2013 at 18:32
    TENHO UM ADOESCNTE DE 15 ANOS QUE E MUITO AGRESSIVO, QUER TUDO DO JEITO DELE,QUANDO PONHO LIMITES ELE QUER QUEBRAR AS COISA DENTRO DE CASA, MENTIROSO!!!! FALA QUE NÃO TENHE AULAS NA ESCOLA PARA FICAR NA RUA E DISCUTE COMIGO, JÁ MIM ENFRENTOU MIM DEU MURROS MIM BATEU, MAIS NÃO FIQUEI POR ISSO MESMO, ENFRENTEI TAMBEM PARA ELE VÊ QUE QUEM MANDA SOU EU!! E MUITO TRISTE VÊ SUE FILHO AGIR DESA FORMA. NA IGREJA QUE ELE PARTICIPA ELE DÁ UMA DE SANTINHO TODOS NÃO ACREDITA NO QUE ELE FAZ FOCA TÃO BONZINHO... QUE FICO COM MUITAS MÁGUAS, AS PESSOAS DE FORA ELEL SABE TRATAR BEM NÃO SEI O QUE FAZER MAIS SÓ DEUS PARA NOS SALVAR! OBRIGADO.
    • Juli

      25 de fevereiro de 2013 at 19:10
      Márcia que tal por ele para fora de casa e fazer com que ele vá trabalhar para pagar a comida que come, quem sabe assim ele tendo responsabilidades passa a ser homem e não um moleque sem juízo. Admitir que um filho bata em você? isso é demais para qualquer pessoa. Põe ele no olho da rua para ele aprender o que é o mundo lá fora. Antigamente ai do filho que enfrentasse os pais, hoje eles se acham, acham que podem tudo e os pais admitem. Bota ele na rua.
    • Kelli

      31 de março de 2013 at 21:00
      Oi pessoal, tenho mto problema com meu irmão de 11 anos, tenho 25 anos ele é adotivo, meus pais são separados tem uns 5 anos e ele ñ respeita ninguem. Na rua ele é uma anjo, um cordeiro, mas em kasa ele se transforma, ñ pode ouvir a palavra NAO, e nunka pode ser contrariado, ele ja enfrentou varias vezes minha mae e todos sempre tratamos ele com amor e carinho. Minha mãe chora todos os dias, ela não sabe mais o q fazer com ele, qndo é fim de semana ele fika na rua o dia inteiro e quando minha mae chama ele pra vir para ksa e xinga, fala um monte grita com ela e fala que no vai pra casa. Fico pensando, ele com 11 anos fala isso, imagina quando tiver uns 15 anos, vai estar batendo na minha mae. Ja conversei com ele, dei conselhos, mas não adianta, ele me xinga tb e fala q eu não mando nele. Ele fz tratamento psicológico, mas não está adiantando nada. Por favor gente me dê algum conselho, não aguento mais ver minha mae sofrer com esse garoto. Me ajudem por favor.
    • kat

      2 de abril de 2013 at 18:07
      Kelli, se seus pais são separados que tal seu pai se responsabilizar e levar o garoto para morar com ele? Não é justo que a responsabilidade fique so com sua mãe e ela ainda tenha que aturar isso. Ou então....usar alguma forma de o pressionar ou impondo limites e regras para ele seguir se quiser continuar a viver com vcs, não vejo outra solução já que nem o psicologo está resolvendo.
  • Glória Gomes

    7 de janeiro de 2013 at 17:26
    É assustadora a quantidade de pais com os mesmos problemas com os filhos! Eu sou mais uma. Será que estramos criando monstros?! Será que fomos e somos permissivos demais? Será culpa dos meios de comunicação e do excesso de informação? Será culpa dos amigos de nossos filhos? Será culpa da escola? Será culpa do país? Será culpa da sociedade? Acho que tudo isso. O fato é que os jovens contemporâneos (salvo algumas exceções) são autoritários, abusados, desbocados, mentirosos, espaçosos, agressivos, vulgares e insatisfeitos, relaxados, preguiçosos... O meu filho de quase 15 anos é assim. Em maio do ano passado deixei o meu depoimento aqui. De lá pra cá, a situação mudou. Piorou! Por mais que eu converse, dedique-me, seja amistosa e imponha limites, meu filho não toma jeito! Já envolveu-se com drogas, já dormiu fora de casa sem avisar, já brigou na rua, enfrenta-me, grita quando proíbo algo, põe-me em situações constrangedoras com vizinhos, tornou-se aluno medíocre. Quando não está dormindo, está na rua e passa noites e madrugadas no PC. Ele não colabora com nada em casa e ainda espalha tudo. Quando converso com ele, ele sequer tira os olhos do computador. Nem quando usa o vaso sanitário, ela dá descarga! A impressão que tenho é a de que ele está entorpecido. Vivendo em outro mundo. Há algum tempo ele ganhou um skate e agora ainda há mais essa para me apavorar. Ele sai pelas ruas, com o tal brinquedinho, em meio ao trânsito carioca! Mas há períodos raros de calmaria. Quando ele decide que não quer sair e passa alguns dias em casa, ele muda e torna-se um jovem agradável. Não sei mais o que fazer. Já conversei muitas vezes com o pai de meu filho (somos separados desde que nosso filho era bebê). Mas o pai dele "tira da reta", alegando que a culpa de tudo é minha e de meus pais. Assim como o ditado, "filho feio não tem pai". Pois é, gente, este é o meu drama, que tenho que enfrentar sozinha e não estou conseguindo. MEU FILHO NÃO CONSEGUE ENTENDER QUE TUDO NA VIDA TEM CONSEQUÊNCIAS. E QUE DEVEMOS NOS RESPONSABILIZAR POR NOSSOS ATOS. Temo que ele seja um péssimo exemplo para o meu caçula de sete anos...
    • kat

      13 de janeiro de 2013 at 20:26
      Olá Glória eu te entendo e imagino que sua situação não deva ser nada fácil. Na minha humilde opinião eu acho que os jovens de hoje em dia tem de tudo do bom e do melhor. Antigamente as facilidades não eram tantas, e quase sempre a gente começava a trablahar bem jovem o que nos impunha ter responsabilidade. A única sugestão que eu posso te dar é começar a cortar as "mordomias" dele. Deixe de fazer coisas para ele. Deixe de dar roupas, presentes. Já pensou em cortar a internet da sua casa por uns tempos? Alegue que vc está numa situação financeira complicada e que precisa cortar alguns gastos. Já pensou em sugerir que ele procure um trabalho e comece a assumir responsabilidade pela vida dele tb? Enfim, sei que é duro, mas algo vc terá que fazer para que realmente ele não sirva de péssimo exemplo ao seu caçula. Boa sorte.
    • lucinéia

      28 de fevereiro de 2013 at 12:21
      olá Glória confesso q entrei no saite para procurar algo q me fizesse entender o comportamento da minha filha de 15 anos , mais quando me deparei com seu depoimento percebi q o que estou passando com minha filha nau é algo q devo me preocupar tanto ,pois o poblema dela é so ficar o tempo q está em casa no celular ou na nete eu naõ consigo sentar pra ter uma conversar legal com ela eu tenho q entrar na nete e conversar pelo bate papo,,quero dizer q pra vc impor algo sobre seu filho hoje vc tem q ter muita paciencia muita força porq não´pense q ele ira aceitar de primeira o q vc impor ele ira usar de todos os meios´possivéis pra fazer o q ele acha q é certo cabe a vc não desisti e por mais q seja dificil continue impondo o q vc achar q é o certo lembre se vc é o pai e mãe dele e um peso bem maior eu falo porq tambem crio os meus filhos sem a ajuda do pai na educação ,mais conto com a ajuda de alguem q jamais me desamparou e q todo o momento q vc o procurar ele esta te ouvindo e sem duvida ele tem a solução nau duvide leia a biblia com seu filho mostre a ele q tudo quanto ele fizer hoje irá refletir no futuro peça a Deus q mude o comportamento dele a atitude carater Deus tem poder pra fazer qualquer coisa basta termos fé confie e Deus vai trazer mudanças na sua casa um abraço !!!
  • Telma

    28 de dezembro de 2012 at 12:15
    Gostei muito das dicas, estou enfrentando alguns problemas com minha adolescente de 16 anos, e de hoje em diante vou procurar ser mais coerente e tranquila nas minhas conversas, sem contudo ser firme e impor regras e limites.
  • Lucas Handsfree

    27 de dezembro de 2012 at 3:34
    Eu estudo os mecanismos lógicos que geram o comportamento dos adolescentes a algum tempo, e sei que existem várias causas que levam o adolescentes a um comportamento agressivo, mas gostei do seu texto. Tenho 16 anos.
  • Renata Haddad

    27 de novembro de 2012 at 21:12
    olá!! Muito bom esse site. Tenho uma filha de 20 anos que nunca me deu trabalho nos estudos ou com as companhias. E tenho um filho de 16 anos que tem me dado trabalho. Ele não quer estudar, só quer ficar assistindo TV ou jogando no computador. Tive que muda-lo de escola e acho que aí piorou. Toda vez que tento conversar com ele, ele se faz de vítima, fala que eu nunca cuidei dele, que falo que ele faz tudo errado.. e o pior é que não tenho mesmo achado muitas ocasiões para elogia-lo... Com meu marido é pior pois ele começa a querer bater de frente... Vivo tentando abordar o assunto que mais me assusta: DROGAS. Está complicada a convivência e gostaria de conseguir me comunicar melhor com ele. Preciso que me aconselhe. Como consigo conversar com ele? Obrigada
    • kat

      27 de novembro de 2012 at 22:20
      Renata, creio que nesses momentos tudo que é preciso é ter calma. Que tal um dia sair com ele para um passeio, invente uma desculpa para leva-lo com vc ao shopping, por exemplo: Vc pode dizer que precisa dar um presente a alguem e que está em dúvida e precisa da opinião dele. tente então sentar para comer algo e ia oas poucos tentando entrar no assunto e a questão principal que vc deve abordar é: Meu filho, pq vc sempre diz que eu nunca cuidei e que eu digo que vc faz tudo errado? Pq vc se sente assim? Tente mostrar a ele que vc o ama, e que diz certas coisas pq se preocupa com ele e tem receio de que algo de mal aconteça a ele, e que por vezes vc não consegue se expressar bem. Pode ser q ele esteja agindo assim pq se sente rejeitado. Digo isso pq recentemente vi uma mae numa situação semelhante a sua, e ao final, o filho agia assim pq q mãe sempre o criticava. Tudo bem q vc nao tenha mtos motivos par ao elogiar, mas será que criticar vai ajudar em algo? Ou só vai afasta-lo cada vez mais de perto de ti e da família? Boa sorte ;)
  • helena

    25 de novembro de 2012 at 19:16
    olá boa tarde! que bom que não sou a unica com problemas tenho uma entiada de 12 anos que veio morar comigo recentemente pois a mãe faleceu a pouco tempo.Está respondona tudo que pesso pra ela fazer ela diz (que saco)não suporta ouvir não e se é contrariada faz um escandolo chorando como se o mundo tivesse acabado.Eeu me sinto muito mal como se eu fosse (a madrasta bruxa malvada)é muito dificio pois sou evagelica trato ela igual aos meus dois filhos menores mais não adianta já conversei milhões de vezes com ela , as vezes ela pede desculpas diz que vai mudar e depois faz a mesma coisa novamente já não sei mais o que fazer.
  • marnize dias

    19 de novembro de 2012 at 12:13
    Eu tomo conta de adolescente naminha igreja gostaria de saber como eu faço para que eles param de falar palavão alem dos conselho e oração.
  • Eurico Santos

    9 de novembro de 2012 at 14:07
    Olá, meu caso tb é complicado pois sou padrasto de um adolescente de 13 anos que tem o prazer de nos tirar do serio constantemente (estuda pouco, é folgado, quer tudo na hora e do jeito dele, não aceita receber NÃO como resposta) tanto que tomamos como regra conversas praticamente diarias procuramos evitar gritos e de vez enquando a mãe dele o corrige com mais rispidez (c/ alguns puxoes de orelha qdo merecidos)... Não sou psicologo mas procuro entende-lo levando em consideração o aspecto da não convivencia entre pai e mãe apesar dele tem contato c/ o pai que não passa de um banana e não ajuda na educação do menino... creio tb q os avos maternos contribuiram com o mal comportamento dele pelo fato da mimagem extrema... O que fazer no nosso caso é continuar as conversas explicação de que a vida e o mundo reserva para ele em termos de consequencias, muitas orações e talvez a ajuda de um psicologo... para concluir deixo um recado a todo leiam em Proverbio 22:6 lá tem o segredo que pode ajudar a todos nós!! Forte abraço Eurico/SP
  • sandra

    7 de novembro de 2012 at 14:31
    tenho um filho de 18 anos e outro de 20 anos o mais velho faz tratamento para epilepsia o mais novo fez mais não faz mais pois ficou curado das crises a 6 anos.Ele arrumou uma namoradinha de 14 anos onde a familia é um tanto assim entende...meu filho de 18 anos começou a dormir na casa da menina 1 dia ,depois foi 3 dias que houve briga feia entre ele e o irmão que ocasionou a crise convulsiva ao qual o irmão estava em processo de uma possivel cura,dessa vez ficou 5 dias seguidos eu sai para pagar uma conta dele ,e ele sumiu enquanto isso para a casa da namorada e não voltou mais só depois de 5 dias .Ele alega que eu não cuido dele ,mas eu sempre fui super protetora e ando em cima dle por telefone o tempo todo.Descobri essa manhã que meu filho está comprando coisas para essa familia como por exemplo alimentos para todos e roupaaliança e etc... para a namorada.Na minha casa ele dá apenas 100 reais e fica meia hora no chuveiro,usa o computador,o exbox,carregador de celular e bateria por toda parte. numa das conversas descobri que a menina pergunta se ele gosta mais da casa dela do que da minha se gosta mde comprar as coisas na casa dela ou na minha,estou totalmente chocada fui até o conselho tutelar para orientação pois meu filho tem 18 anos e a menna 14 e a mãe e o padrasto estão coniventes com toda essa situação.Me ajude por favor,se puder enviar por email agradeço muito.
    • kat

      11 de novembro de 2012 at 15:06
      Olá Sandra, não sei o que o conselho tutelar falou p/ vc. Seu filho trabalha? Que tal se vc tivesse com ele uma conversa franca e perguntasse o que se passa? Se ele já praticamente sustenta a família dela, seria bom se ele tomasse responsabilidade e assumisse a situação completamente. Eu acho que as pessoas so aprendem se quebrarem a cara sozinha.
  • Roberto

    28 de outubro de 2012 at 0:10
    Tenho passado certos conflitos com minha filha de 17 anos,é uma boa menina ,somos evangélicos e tivemos boa sustentabilidade tanto moral ,social e espiritual,mas de uns tempos pra cá se tornou respondona batendo de frente conosco e cá pra nós ninguém tem sangue de barata,dá vontade de dar umas boas varadas até hoje embora defendendo a tese do diálogo,mas a bíblia nos ensina que a vara é para as costas do tolo,e a criança entregue a sí mesma é a desonra dos pais,e manda que corrijamos nossos filhos não com diálogo,com chinelo e nem gritos, mas com a vara e umas 2 ou 3 boas varadas nas pernas num mata criança algunha mas com certeza vai ajudar a concientizar que o chefe da casa são os pais. E que são eles que sempre ditarão as regras até que o filho tenha seu próprio sustento em tudo.Deus abençoe a todos.Pr Roberto
    • kat

      1 de novembro de 2012 at 22:25
      Pr. Roberto, se os pais educassem uma criança desde pequena, provavelmente não precisariam dar "umas boas varadas" nas pernas qdo elas estivessem maiores. Quem não impõe limites e regras desde qdo a criança ainda é um bebê, geralmente tem dificuldade em ter controle sobre o filho qdo ele está maior. Uma coisa eu posso lhe garantir "varadas", tapas, socos, agressão física, palavrões, xingamentos, gritos, em nada vão ajudar o filho a entender que "o chefe da casa são os pais". Criança não tem chefe, casa não tem chefe. Casa tem família unida, tem diálogo, respeito, amor, afeto, carinho, amizade, regras, limites, tudo dentro do bom convívio. Harmonia e paz é a base de um lar seje le espirita, evangelico ou catolico. “A mulher sabia edifica a sua casa”, "Uma mulher sábia certamente conduz bem as coisas". É assim que é baseado um lar, na sabedoria e habilidade da mãe e esposa, que é quem fica a maior parte do tempo com os filhos, porém isso não impede que o pai seja participativo, amigo e conduza seus filhos par ao caminho do bem através de palavras de sabedoria. :)
  • Rubenildes Cerqueira Castro

    20 de outubro de 2012 at 0:50
    São João de Meriti, 19 de Outubro de 2012 Tenho uma neta de 16 anos, que a 6 meses a traz morava com a mãe, devido a fase de doença da mãe a adolescente esta comigo e com o pai., o problema é que a minha neta esta acostumada com mentiras e invenções, sai sedo da escola chega tarde em casa, chega atrasada não sobe para assistir aula, inventa coisas muito rápida ( tem desculpa pra tudo )não é respondona, mas, o problema é muita mentira e eu não sei como lidar com ela. Todas que eu descubro eu deixo de castigo, tiro celular, proibido internet, afasto das colegas, nada da certo. Me ajude, me de uma boa noticia como lidar com esse problema. obrigada.
    • kat

      26 de outubro de 2012 at 16:29
      Rubenildes, Sinceramente assumir esta responsabilidade que vc assumiu é algo bastante sério. Acho que a melhor solução é olhar nos olhos dela, ter uma séria conversar perguntar a ela porque ela mente tanto? Qual o objetivo da mentira? O que ela pretende com isso? Pergunte se ela acha que durante a vida ela irá se dar bem mentindo! É importante que vc converse com um psicologo para que ele possa fazer uma análise melhor sobre o comportamento dela e o que vc deve fazer pra resolver esta situação.
  • Elizabeth

    19 de outubro de 2012 at 1:35
    Eu tenho um filho de 10 anos, que eu amo de paixão. Eu me separei do pai dele antes dele nascer. Nunca fomos casado, mas nos damos muito bem, não temos problemas e convivemos bem. Quando meu filho tinha 2 anos, conheci o meu marido, e Lucas além de um padrasto consegui um avo maravilhoso, que e o meu sogro, que apesar de não ser avo de verdade do menino e louco por ele, e faz tudo que ele quer. Ultimamente tenho tido problemas com o meu filho. Ele esta muito rebelde, respondam, e vivi me criticando, além de arranjar brica na escola e tudo mais. Ele tem tudo que uma criança pode querer, e tem um bom relacionamento com o pai dele. Só que eu sinto que estou perdendo o controle, até o pai dele esta reclamando das atitudes dele. Eu e o pai dele tivemos uma longa conversa, onde eu pude falar todas as minhas reclamações contra o meu filho, e ele me disse que sou permissiva demais com ele, e que por trabalhar demais acabo por remorso não colocando limites para o menino. O pai dele me propôs a ficar um ano com meu filho para tentar concertar suas atitudes, pois realmente sei que sou meio mole com ele. Meu filho que ir morar com o pai, sempre quis na verdade, e ultimamente me pede isso, e com essa proposta feitaelo pai dele, fiquei confusa. Estou com um sentimento de fracasso, como se eu tivesse feito tudo errado. Não sei o que fazer. Alguém pode me ajudar?
    • kat

      26 de outubro de 2012 at 16:33
      Elizabeth, se de fato vc se considera permissiva, o melhor seria mudar isso. Vc ja se perguntou pq seu filho tendo de tudo e sendo amado quer ir morar com o pai dele? Vc ja perguntou ao seu filho pq? Acho que opinar sobre se vc deve ou nao aceitar a proposta do pai do seu filho é complicado, a única pessoa que pode responder isso é vc e o seu coração.
  • David

    28 de setembro de 2012 at 6:48
    Quando vc debate o comportamento deles o progresso não existe e sim muita confusão, quando vc utiliza as doutrinas adequadas para cada comportamento e dá foco ao ensino sempre haverá resultados positivos, o exemplo dos pais ajudam mas não definem o arbitrio, e não ensinar por preceito e exemplo colaboram com a escola do mundo, tudo na familia envolve os mais profundos sentimentos, a palavra amor na realidade deveria ser soletrada T E M P O, não tempo ocioso, mas um tempo dedicado proporcionando experiências sociais e espirituais que constroem principios de carater no individuo.O objetivo principal seria tornar nossos filhos auto-suficientes em todos os aspectos da vida, ou seja ensina-los a pescar e não dar o peixe, ensina-los a desenvolver sentimentos construtivos pelos outros, por exemplo marcar uma data em que a familia vai a um hospital prestar serviço comunitario; o pai ou mãe sair individualmente com cada filho pelo menos uma vez por semana e conversar sobre tudo, os pais ao pedir para os filhos fazerem atividades domesticas ajuda-los também, quando os filhos já estão grande e com maus habitos, os pais devem fazer reuniões quase que formais, antes de iniciar dizer algo como "o que vamos abordar nessa reunião é de muita importancia" dai vc diz: "que o papai ou a mamãe podem melhorar?" quero ser um melhor pai e marido para minha familia, quando vc faz isso vc abre um lek de oportunidades a seus filhos de externarem o que pensam dos pais, depois dessa pergunta escute... escute... não retruque...e aceite a avaliação, pois é o que pensam de vc, depois pergunte... se tem algo que vc faz que os agrade? vcs... apos isso vc ficará feliz com os elogios, quem não gosta de elogios... seus filhos começarão a acreditar vc se importa com a opnião deles e que sua opnião em relação a eles é tambem importante e eles irão querer ouvir o que pensa deles, ou seja surgiu uma oportunidade em que eles desejam ouvir vc, isso por que vc desejou ouvir vc, e lembre primeiro o Amargo(o que precisa melhorar) depois o mel(os elogios) se em algum momento acontecer algo que não o agrade, não diga de imediato que não gostou e não reclame, faça eles pescarem a ideia certa dentro deles como por exemplo: "o que vc faria de diferente se fosse realizar a mesma coisa..." se a resposta não te agradar... tenha paciencia...o peixe não mordeu a isca, marque outra conversa e faça a mesma pergunta... e assim vai... mas isso requer aos pais muita disciplina, muita paciência e amor soletrando com as letras T E M P O para realizar tudo isso... um abraço a todos, estou a disposição para ajudar... Fraternalmente Bispo Daviddalindo Araújo
  • lais

    17 de setembro de 2012 at 19:03
    obrigada vai tira muitos jovens ta rebeldia obrigada brasil
  • valeria

    21 de agosto de 2012 at 3:47
    GENTE EU ESTOU DESESPERADA! NÃO SEI O QUE FAZER, TENHO UMA FILHA DE 13 ANOS QUE ESTA MUITO REBELDE! RESPONDONA AGRESSIVA, BATE DE FRENTE COMIGO TODA HORA EU CONVERSO COM ELA MAS NÃO ESTA SURTINDO EFEITO,TRATO ELA COM CARINHO AMOR E ATENÇÃO,TENTANDO SUPRIR A FALTA DO PAI, QUE NOS ABANDONOU QUANDO ELA TINHA 3 ANOS, MAS EU NÃO SEI MAIS O QUE FAZER, DEVIDO A AGRESSIVIDADE DELA ATÉ OS PARENTES SE AFASTARAM DELA, QUE NÃO ACEITA OPNIÃO DE NIMGUEM SE ACHA A DONA DA VERDADE! EU FICO MUITO TRISTE COM ISSO, CHORO TODAS AS NOITES PEDINDO A DEUS UMA LUZ!POIS É MINHA ÚNICA FILHA.
    • CELIA CRISTINA

      11 de setembro de 2012 at 18:36
      ho minha amada,o meu filho de 13 anos esta começando a se rebeliar e isso esta me deixando muito triste tb,olha q ele é um menino criado na igreja tem mae e pai maravilhoso e ñ tem causa pra isso,tb estou muito triste,ele esta sendo grosso,ñ quer mas beijos,me responde na frente dos outros e eu tb ñ sei o que fz,mas creio q essa fase vai passar em nome de jesus . entao minha amada o conselho q te dou eo mesmo q o meu entrega tua filha nas maos do senhor jesus e continue dando amor e corigindo quando for preciso. e que deus te der paz um grande beijo
    • claudia lima

      16 de outubro de 2012 at 18:51
      Sei como deve estar sendo difícil pra vc,é algo que no momento não tem solução estou passando por isso também,parece que eles enlouque ceram,só não seje boazinha demais pois eles nos chamam de "trouxas",coloque ela pra lavar suas proprias roupas e fazer sua propria comida,arrume um trabalho ou algo pra ela fazer,limite os amigos na sua casa e os horarios de saída,assim ela dará um pouco de valor para os seus sacrificios.
  • jonas

    4 de julho de 2012 at 1:10
    Fui criado à moda antiga onde existiam surras e nunca guardei mágoas de meus pais por isso; até agradeço a eles pela pessoa que sou hoje. Atualmente se encostar a mão num filho, vai preso. Protegido pelo estatuto, agora os filhos ameaçam chamar a policia caso o pai ou mãe encostem a mão neles. Tenho um problema em casa onde há uns 8 anos atrás por motivo banal meu filho gritou comigo, fiquei nervoso e também falei alto com ele dizendo que deveria respeitar os mais velhos. Daí prá cá nunca mais falou comigo e não aceita diálogo. Não sei mais o que fazer.
  • tania márcia da cruz

    30 de junho de 2012 at 16:24
    Incrível como os adolescentes de hoje estão matando ou deixando marcas profundas nos pais, como é o meu caso também. Acho que algo deveria ser feito, pois eles estão munidos de toda proteção legal e assim podem TUDO. Concordo em parte com o ECA, mas quando se trata de adolescentes tal estatuto tem que ser mudado, pois está DEMAIS o abuso deles.
    • kat

      2 de julho de 2012 at 18:55
      Taina, concordo plenamente com vc. Outro dia uma mãe colocou aqui o comentário dela e identificou-se com o nome dela como todo mundo faz. Ela narrava as dificuldades que tinha pq o filho adolescente mentia muito. Passado alguns dias ela me escreve desesperada pedindo para que eu apagasse o comentário dela, porque o filho havia colocado o nome dela no Google e encontrado o desabafo dela, e qual não foi a minha surpresa de que qdo vim aqui ao blog, havia um comentario do filho dela ameaçando-a e exigindo a retirada do comentário. Preciso dizer algo mais? A q ponto chegamos ond eum filho investiga a mãe pela internet, descobre onde ela escreve, ameça e exige que o comentário seja retirado, dizendo à ela que se ela reclamava dele, agor aia reclamar com motivos. Fiquei revoltada, ams retirei o comentario conforme a solicitação dela. Um absurdo isso.
  • Maria

    11 de junho de 2012 at 18:25
    Tenho um filho de quase vinte anos que só frequentou o 1º semestre da universidade, depois disso tive que tirá-lo de lá pois só teve negativas. Hoje em dia, só fica no computador de noite e dorme de dia, e se eu falo alguma coisa, ele diz que a vida é dele e eu não tenho nada com isso, mesmo que ele viva em minha casa. Sofro muito, porque inclusivamente, ele mentiu dizendo que estava a trabalhar e a frequentar aulas de Matemática e no fim não estava fazendo nem uma coisa nem outra e quando eu o enfrentei, ainda ficou todo zangado porque eu não tinha nada que ter andado a indagar.... Tudo isto para dizer que é mesmo dificil lidar com adolescente, sim. MUITO DIFICIL.
  • vera lucia de souza e silva

    31 de maio de 2012 at 14:19
    meu deus estamos em mais um comentario e as amiga que perguntaram nao se assusten com isso. as meninas de 14 e meninos na adolecencia esta todos malucos. tenho uma de 13 anos que ja esta comecando a dar-me dor de cabeca,,,, peco so a deus que eu conigo cria-la ate as 1^8 anos popis moro sozinha e mais dificiel.
  • Glória

    5 de maio de 2012 at 22:57
    E quando os avós são permissivos e te desautorizam? Sou separada e o pais do meu filho de 14 anos não está nem aí para a educação dele. Meus pais ajudam no que podem, mas, ao mesmo tempo, atrapalham. São permissivos e autorizam saídas que eu não permito. Daí, eu fico como a impiedosa, a mãe má, a bruxa, a cruel. É uma concorrência desleal. Já conversei com meus pais, já até briguei com eles, mas denada adianta. Resolvi relaxar e entregar os pontos. Já estou com problemas de saúde por tanto estresse. E não posso adoecer. tenho um caçula com 6 anos para criar...
  • rose

    25 de abril de 2012 at 0:18
    também tenho uma adolescente de14 anos que esta me matando de tanta preocupaçao ,nao me respeita ,sai todos os dias com quem eu nao gosto nao sei o que fazer
  • simone

    9 de abril de 2012 at 15:22
    Bom Dia nao concordo com isso! A culpa dos filhos se revoltarem nem sempre e dos pais. Sempre fui amiga da minha filha,so que hoje ela acha que as amigas sao mais amigas doque eu!
  • marcia

    14 de fevereiro de 2012 at 21:01
    Tenho 3 filhos um de 18,12,11 anos,o mais velho e o mais novo nunca me apresentou qualquer tipo de problema,mas o do meio naum entendo,embora a criação seja a mesma,seu comportamento é completamente diferente,briga com todos e por qualquer coisa, não aceita ordens,nunca obedece,faz sempre o q quer,bater não adianta e se dou um castigo tipo tirar a internet aí sim ele fica revoltado,outro dia me enfrentou dizendo q iria me agredir,não o reconheci,percebi q meu filho tornara se um monstro,estou muito decepcionada com ele nem consigo olhar pra ele,e quando lembro das palavras a qual me dirigiu começo a chorar,há uma confusão de sentimentos dentro de mim, uma mistura de ódio,pena,sei lá,as vezes penso em sumir e abandoná-lo,nunca mais vê-lo.Há alguns tempo sugeri a ele que fossemos em um psicólogo e não aceitou indagando q não era louco,não sei como agir diante de tal situação será q alguém pode me ajudar?
    • kat

      15 de fevereiro de 2012 at 22:58
      Marcia, se por acaso a escola dele tiver psicólogos, fica mais fácil fazer com que ele converse com o profissional. Caso contrário, obriga-lo creio que não será a solução. Como psico-pedagoga, sugiro que vc um dia fique em casa com ele, ou encontre um momento adequado onde ambos possam conversar, e diga à ele como vc se sente com as reações dele. Diga sobre sua decepção, sobre sua mágoa e sobre a sua tristeza, pergunte à ele o pq destas atitudes. Pergunte se em casa alguém o maltrata ou o diferencia, ou se ele se sente rejeitado de alguma forma. Tente ter uma conversa amiga, porém sem esquecer de 'lembra-lo' de que a mãe é vc, ou seja, vc tem o 'comando' da casa e da educação e portanto, há regras a serem cumpridas para se viver em grupo; e ele querendo ou não terá de adaptar-se as regras da família, ou sugira à ele....se quem sabe ele gostaria de "ir trabalhar", ganhar seu próprio sustento...( dê uma chacoalhada de leve nele na mente dele) ou seja, faça com que ele pense que ele depende de vc e portanto.....há deveres a serem cumpridos por parte dele. É assim na sociedade, é assim no trabalho, na escola, ou em qq grupo. Espero ter ajudado, boa sorte.
    • Sonia

      5 de março de 2012 at 17:04
      OLÁ COLEGA. BEM VINDA AO CLUB. TAMBÉM TENHO UMA ADOLESCENTE DE 14 ANOS QUE ME DÁ UM BOCADO DE TRABALHO. ISSO É NORMAL. APENAS TEMOS QUE PROCURAR SABER LIDAR COM AS SITUAÇÕES QUE SURGEM A TODO MOMENTO. FIQUEI PREOCUPADA COM SUA MISTURA DE SENTIMENTOS, O ÓDIO, VONTADE DE ABANDONÁ-LO... QUERIDA, SOMOS MÃES! FOMOS NÓS QUE PUSEMOS ELES NO MUNDO, PORTANTO SOMOS OBRIGADAS A AMÁ-LOS E PRINCIPALMENTE EDUCA-LOS. ESSAS SITUAÇÕES SÃO RESOLVIDAS COM MUITO DIÁLOGO, FRANQUEZA E LIMITES. CLARO QUE OS EPISÓDIOS ESTARÃO SEMPRE SE REPETINDO E DIMINUINDO Á MEDIDA QUE CRESCEM E AMADURECEM. O IMPORTANTE É NUNCA DESISTIR. "ÁGUA MOLE EM PEDRA DURA, TANTO BATE ATÉ QUE FURA". ESPERO TER AJUDADO.
  • Ana

    26 de janeiro de 2012 at 14:47
    Eu tenho 1 filho de 16 ano que já não é virgem não gosta de conversar comigo já engravidou 3 mocinhas de 12 14 15 anos me da uma dor de cabeça me ajudem não aguento mias
    • kat

      26 de janeiro de 2012 at 16:29
      Ana, entendo sua situação, realmente não deve ser fácil. Ele não gostar de conversar até se entende, dado que os adolescente usam isso como uma forma de fugir da responsabilidade de ouvir dos pais sobre o que eles têm que fazer. Agora engravidar 3 mocinhas, aí já é demais. Ele tem que compreender que se ele não se prevenir usando preservativo, além de engravidar mais mocinhas, ele estará sujeiro a pegar uma doença sexualmente transmissivel como a AIDS (SIDA) e outras e corre o risco de morrer. Além disso que vai cuidar destes filhos que ele anda a fazer? As mocinhas? ou os pais das mocinhas? Se ele não quiser conversar com vc, procure a ajuda de um psciologo :)
  • rosana

    17 de janeiro de 2012 at 18:29
    tenho um adolecente de 14 anos se acha que ´ja é homem..é já quer sair sozinho a noite e chegar no outro dia..não sei como lidar com essa situação. o que fazer.
    • kat

      19 de janeiro de 2012 at 16:22
      Ola Rosana, ele é muito jovem ainda para ter esta atitude. Converse com ele e explique os motivos pelo qual vc não quer que ele faça isso, exponha sua opinião sobre os perigos de acontecer algo com ele e ele ser menor, sobre a violência que impera nas grandes cidades. Se de tudo ele continuar querendo fazer isso e te causar problemas, mude sua conduta, ponha sobre ele responsabilidades. Se ele é adulto para sair e voltar no dia seguinte, tb será adulto para estudar a noite e arranjar um emprego mesmo que seja de office boy. Se ele continuar a te cusar problemas sente com ele e diga, aqui as regras de casa são assim....enqto vc estiver sob a minha guarda e na minha casa, as coisas funcionam assim; se vc não estiver satisfeito podemos encontrar uma boa solução. ;)
    • Joana

      28 de abril de 2012 at 3:44
      Rosana, faça o seu filho entender que a mãe é vc! Corte algumas coisas que ele gosta, e nunca volte atrás nas suas decisões para não perder o respeito. Incentive-o arrumar um emprego também para dar valor. Adolescentes as vezes se sentem "auto-suficientes"mas quando percebem que precisam da mãe para tudo, eles voltam atrás. O dialogo também é importante! Divida as responsabilidades com o pai dele (caso ele tenha) pois os meninos costumam ouvir melhor uma figura masculina. Abraço!
  • maria de lurdes silva

    1 de setembro de 2011 at 13:59
    Gostei mto.Tenho dois netos.Um de temperamento calmo,mto tranquilo. o outro tbm'e meigo, enquanto não contrariado.Se as coisas não correm como ele quer ou a favor dele, parte para a agressão.É mto complicado qdo um pai pede ajuda e perante certas situações nào sei como ajudar. Um tem15. anos o outro 13.A agressividade toda vem do mais novo. Sào ciumes? consequencia de uma separação pelo meio? a dos pais? Todo o conselho, opinião eu aceito e agradeço de coração.um abraço para todos.
  • Sueli Santos

    5 de abril de 2011 at 22:15
    Aiiii Goostei Muito .! Pois tenho duas adolescentes e que estão preciiisando de muita conversa ....Vcs tem livros ? Diiivulguee.!
  • samanta alcnatara

    13 de fevereiro de 2011 at 20:58
    adorei pois tenho duas filhas adolescente e estou com muita dificuladades de controla-las

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

.

Page optimized by WP Minify WordPress Plugin